Espetáculos

Ninhos – performance para grandes pequenos (2013)

Ninhos parte da ideia do lugar onde tudo começa e pode retornar. Vai… e vem. Voa, salta, corre! E volta para o aconchego, o alimento, a segurança.

Imagens e poesias de movimento apresentam Ninhos como lugar de apoio e base para os voos, descobertas, passeios. Brincadeiras de crianças confundem-se com movimentos de animais remetendo à similaridade entre movimentações de diferentes espécies. Nesse jogo, os ninhos são os espaços de recolhimento onde são fortalecidas as relações mais sutis, íntimas e subjetivas, tão importantes para os voos da criança.

Álbum das Figurinhas (2012)

De que tamanho você é? O que bate dentro de você? De que cor é seu coração? E seu amor, tem cor? Crescer dói? Alô, lua! Tô chegando… pelos buracos! … e o buraco é fundo… Acabou ou começou o mundo?

Ao invés de serem coladas no papel, as figurinhas que compõe este álbum-espetáculo estão grudadas aos ossos, à pele e aos cabelos dos bailarinos da Balangandança cia. O “Buraco”, o “Crescer”, o “Coração” e a “Lua” são as figurinhas prediletas. Através delas vão sendo abordados, de forma sensível e delicada, assuntos como as dores e delícias do crescimento, o medo e o amor. Nesse álbum, todos são “figurinhas”: bailarinos, espectadores, crianças de todas as idades. Uma seleção para colecionador nenhum por defeito!

Dança em Jogo – exercícios cênicos (2010)

Dança em Jogo são exercícios cênicos de composição e improvisação em dança contemporânea para crianças. A trilha sonora e o roteiro da dança são concebidos na hora, em tempo real, junto com o público. Sendo assim, nunca um espetáculo é igual ao outro. Difícil de entender mas fácil imaginar. Melhor ainda de assistir e sentir.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Tal do Quintal (2006/2017)

Brincadeiras, medos e sonhos do universo infantil transformam o espaço do quintal num jogo constante entre o movimento, o espaço e a imaginação. O corpo vira brincadeira, a brincadeira vira dança e a dança? Vira de ponta cabeça! No nosso quintal a dança acontece em meio a varais, baldes, murinhos, chuva e sol.

A Balangandança Cia. criou O tal do quintal buscando enfatizar a importância do espaço físico no desenvolvimento do movimento da criança seja em suas brincadeiras ou em sua dança.

O espetáculo recebeu o prêmio da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) na categoria, ora inédita, de dança para crianças. Em 2017, a Balangandança Cia. remontou o trabalho, agora com um novo elenco, em comemoração aos 20 anos do grupo.

RodaPé (2001)

O pé como gerador de movimentos entra em cena, aliando trava-língua e expressões idiomáticas com danças de sapateio, dando o ponta pé inicial à um espetáculo repleto de momentos rítmicos e poéticos. A dança se transforma em fonte de diversão e informação sobre o corpo e sobre os movimentos.

Entranças – descobrindo e redescobrindo o Brasil (1998)

É um caça ao tesouro diferente, que leva o público a “trançar” com o espetáculo por alguns caminhos lúdicos da nossa nação. Entranças nos leva a conhecer e redescobrir o Brasil por meio da cultura nacional. As crianças acabam percebendo que a riqueza do tesouro pode não estar nos objetos materiais, mas sim na felicidade que sentimos nas brincadeiras e danças brasileiras.

Brincos & Folias (1997)

A televisão explodiu. E agora, o que fazer? O jeito vai ser arregaçar as mangas e entrar na brincadeira, redescobrindo o corpo, o prazer de dançar e inventar movimentos.

De uma pra outra, as brincadeiras-danças se desenrolam como em uma tarde de domingo…

Entram em cena a amarelinha, o pega-pega, as bolhas de sabão, o vídeo-game, brincadeiras de bater palmas, entre outras. Experiências lúdicas resgatadas da infância de antigas e novas gerações, a partir da pesquisa de brincadeiras realizadas espontaneamente por crianças em diferentes locais da cidade de São Paulo.

A Balangandança Cia convida o público mirim a entrar na dança, fazendo do corpo brinquedo e da brincadeira dança!

Brincos & Folias é o primeiro trabalho criado pela Balangandança Cia. e a se mantém em circulação até hoje, tendo passado por muitas cidades e festivais nacionais e internacionais.